A melhor música nas melhores salas.

Bio.
Céu

 

A cantora brasileira, vencedora de 2 Grammys Latinos, estreia na nova edição do Misty Fest canções inéditas que irão pertencer ao álbum sucessor do aclamado Tropix (2016).

O Brasil sempre misturou – samba com rock, bossa com electrónica, hip hop com MPB, jazz com morro, funk com praia… – e Céu é um produto dessa liberdade de pensar, de agir, de cantar e de dançar. Ao Misty Fest a aplaudida cantora brasileira que conta já com quatro álbuns de estúdio na sua agitada discografia – incluindo o mais recente Tropix que data de 2016 – pretende trazer já alguns sinais do que está a preparar para 2018.

Céu é filha de uma São Paulo de vistas largas e isso reflectiu-se em discos onde cruzou a electrónica, o dub, o hip hop e a MPB com mestreia e bom gosto, factores que lhe valeram elogios rasgados por parte da imprensa internacional e que, claro, sustentaram a inédita conquista de dois Grammys Latinos, incluindo o de Melhor Álbum de Pop Contemporâneo Brasileiro, sucedendo a artistas como Tulipa Ruiz, Ivete Sangalo ou Seu Jorge, que também arrecadaram distinções nessa categoria.

Ao vivo, Céu tem arrecadado aplausos internacionais pela forma original como se entrega às suas canções, com temas como “Perfume do Invisível”, um dos momentos mais destacados de Tropix, a provarem funcionarem na perfeição para audiências internacionais. Em 2015, Céu apresentou-se em Lisboa num concerto que ainda está guardado na memória de todos os que estiveram presentes. Agora, Céu promete desvendar-nos o seu próprio futuro num concerto em que além dos seus maiores sucessos interpretará também material inédito. Mais uma razão para marcar presença.