A melhor música nas melhores salas.

Bio.
JOANA SERRAT

 

FACEBOOK
INSTAGRAM

A autora e compositora catalã apresenta no Misty Fest, o mais recente álbum, considerado entre os melhores de 2021 pela imprensa internacional.

A cantautora catalã Joana Serrat regressou aos discos em junho passado com a edição de Hardcore from The Heart, mais uma vez pela Loose Music. Este álbum é o que sucede ao aclamado Dripping Springs de 2017 (editado também pela Loose Music).

Desta feita, a compositora e música, deixou a sua terra natal de Vic (Catalunha) e viajou até Denton, no Texas, onde se juntou ao engenheiro de som e produtor Ted Young, conhecido pelo seu trabalho com artistas como Kurt Vile e Sonic Youth, entre outros. O seu som distinto, que já foi descrito como folk gaze, ganhou ainda mais forma e dinâmica ao passo que a sua voz, original, mas apontada como uma espécie de mescla entre os timbres de Tanita Tikaram e Margo Timmins dos Cowboy Junkies, ganhou ainda mais espaço nos novos arranjos.

Joana Serrat já vistou Portugal por diversas vezes, quer em concertos integrados em festivais como o Paredes de Coura e Gente Sentada, quer a solo como o que aconteceu no Centro Cultural e Congressos das Caldas da Raínha, Plano B no Porto, Teatro de Vila Real ou Orfeu, em Águeda, (integrada no Outonalidades). É justo dizer que a sua música ressoa com especial intensidade junto do público português.

Ao ouvir e aplaudir a sua canção “Demons”, o britânico Guardian garantiu que o género conhecido como “americana” não é acerca de onde se nasceu, mas antes um estado de espírito: “perguntem à catalã Joana Serrat que soa como se tivesse alugado um bungalow cheio de bungavílias a um dos músicos dos Eagles em 1972”.

Aplaudida por publicações de referência como a Uncut ou a Glide, que têm distinguido os seus trabalhos nas suas listas de melhores edições do ano, Joana Serrat conseguiu igualmente ser votada pela Americana Music Association como uma das autoras do ano por causa do trabalho apresentado em Hardcore From The Heart.